domingo, 31 de julho de 2016

Família e Religião



Esta é uma das questões mais dificeis com que os pagão se deparam: a revelação e o confronto entre várias religiões.
Num jovem um dos momentos mais difíceis é contar aos pais sobre a sua opção religiosa quando esta é diferente da escolhida pela família.
Este texto tem como função dar dicas para quem tem dificuldades em lidar com essa situação. Ouço muitas pessoas dizerem “minha mãe é evangélica e jamais me aceitaria como bruxa” ou então “minha mãe jogou fora todos os meus livros de bruxaria”, e assim por diante. O facto é que este texto pode parecer inútil para muitos sacerdotes ou sacerdotisas veteranos na Arte. É verdade: temos muitos problemas com adolescentes que literalmente brincam com a Bruxaria e acham que é a religião deles para sempre. O mais triste é que a maioria nem sabe que a Wicca, por exemplo, é uma religião. Se bem que isso tem mudado um pouco ultimamente, com a exposição maior.
É claro que entre os adolescentes há aqueles que realmente estão interessados em um aperfeiçoamento interior, mas convenhamos: a maioria não está.

Então, pense bem antes de sair por aí se dizendo bruxa ou bruxo! Se o fizer, sua credibilidade tem grandes chances de ir por água abaixo rapidamente.
Alguns conselhos básicos
Se tem entre 11 e 17 anos, espere pelo menos três anos para contar a alguém que você se decidiu pelo Paganismo.
Você pode achar que a Bruxaria é a coisa mais perfeita que você já encontrou e que não há dúvidas de esta ser a sua religião. No entanto, você pode pensar diferente amanhã. Isso não é uma estimativa, é uma possibilidade real. Você não sabe o que estará pensando daqui a três anos e sua cabeça pode mudar completamente. Assim, se a sua vontade de ser bruxa(o) for realmente muito grande, e não uma empolgação passageira, você não terá problemas em esperar. Enquanto isso, você pode acessar sites sobre o assunto, entrar em listas de discussão e chats.

Comprando livros
É claro que o estudo e a leitura de livros importantes é essencial, mas não vou ignorar a realidade da maioria dos jovens. Quem tem entre 11 e 17 anos geralmente não trabalha e o dinheiro que tem é da mesada. Se quiser gastar sua mesada em livros, go on! Isso pode lhe dar uma boa indicação do quanto a Bruxaria é importante ou não para você. Mas tome cuidado. Muitos pais são intolerantes, todos sabemos disso. Não é por mal: eles querem o nosso bem. Muitas pessoas, temem o desconhecido. Se achar que, explicando a religião, eles entenderão, então faça-o. Porém se achar que não deve, para quê complicar? Dê tempo ao tempo.
Uma palavra sobre “contar aos pais”
Gostaria de deixar bem claro aqui que não estou fazendo apologia à mentira de forma alguma.
O ideal, obviamente, é ter uma boa conversa com seus pais sobre a Wicca ou a Bruxaria, sendo sincero com relação à sua opção religiosa.

Não discuta. Não brigue.
Sei como é quando alguém vem criticando a Bruxaria, fruto daquela visão deturpada que a maioria das pessoas têm por não conhecer mesmo. Tente se controlar. Quanto mais você se alterar, mais aparente ficará para os seus pais que a sua religião não é séria.
Veja a seguir um modelo de carta que você pode mostrar aos seus pais, caso você queira se tornar wiccan (texto retirado do site da Abrawicca).
“Carta aos pais,
Sei que vocês devem estar assustados com essa tal Wicca, e desejam o melhor para seus filhos, aliás como todos nós que somos pais e mães. É compreensível que vocês desejem que seus filhos sigam a mesma orientação religiosa que vocês, porque todos desejamos que os filhos sejam nosso espelho. Mas nossos filhos não são nossos, não nos pertencem: vocês terão que aceitar a escolha pagã de seus filhos, como eu mesma, Sacerdotisa pagã, terei que aceitar se minha filha resolver se tornar cristã… Saibam que enquanto seus filhos estiverem seguindo os princípios da wicca, não realizarão nada de “mau” por seus padrões, porque nossa noção de responsabilidade pessoal e conduta é muitas vezes mais exigente que a de vocês mesmos e sua religião.
Aos pais não pagãos de jovens pagãos eu desejo a tranqüilidade de poderem verificar em seu filho as mudanças provocadas pela Wicca (obviamente se eles estiverem seguindo preceitos de wiccanianos sérios). Sei que o comportamento de seus filhos melhorará sensivelmente, se eles forem dedicados wiccanianos, da média do comportamento de outros jovens não pagãos. Se eles estiverem praticando nossos preceitos, estarão exercitando o auto-conhecimento, a auto-transformação para alcançar o equilíbrio, estarão tratando as pessoas com mais compaixão e serão muito mais equilibrados e serenos do que a média dos outros jovens da mesma idade. Vejam, dêem tempo ao tempo: a Wicca não fará mal algum a seus filhos, se essa é a escolha sincera de seus corações.”
Como agir diante do preconceito dos pais
Coloco aqui outro excerto retirado do site da Abrawicca:
“Compreendam que até a maioridade seus pais são responsáveis por vocês e têm até mesmo do direito de tirar-lhes os livros de Wicca e os objetos rituais. Não vejam isso com ódio, vejam como uma prova a passar em sua busca do Caminho dos Antigos, porque é isso realmente o que é. Se vocês estão passando por isso, mas ouviram o chamado da Deusa, ela cantará tão alto em seus corações que nenhuma violência, nem nenhuma privação ou castigo a fará calar. Por isso, mesmo que tempos difíceis se apresentem tenham certeza de uma coisa: um dia, seus pais compreenderão vocês e mudarão de atitude. Basta que a vontade de vocês seja sincera, seja real. E se for, nada tirará vocês do Caminho.”
É um conselho bastante inspirador, mas difícil de seguir. É difícil ter paciência quando sofremos algo injusto. Porém, é a única solução. Travar uma verdadeira guerra com seus familiares foge aos preceitos pagãos e não vai lhe fazer nada bem. Pelo contrário, pode piorar ainda mais a sua situação.
Segue o resto do texto:

“Compreendam que os atos de seus pais não são – mesmo que vocês os percebam assim, – uma agressão a vocês. São atos de amor: eles querem o melhor para vocês e , talvez, precisem de algum tempo até perceberem que o que eles chamam de melhor talvez seja diferente para vocês. Mas um dia, com o amor que eles têm por vocês, eles não ficarão cegos às suas escolhas.
Lembre-se: você é o maior responsável pelo que seus pais saberão do caminho pagão. Saiba responder as questões deles, faça com que eles se informem, se possível. Seu comportamento é um cartão de visitas de sua religião: seja um wiccaniano de verdade, lute pelo seu aperfeiçoamento todos os dias, compreenda as outras pessoas, não seja preconceituoso , não agrida sem motivo, NUNCA faça de sua religião uma arma contra ninguém.
Não deixe que a Wicca seja um argumento que disfarce outros tipos de problemas, como a disputa entre irmãos ou a briga entre pais separados, onde esse pode ser um argumento de que “o outro” está criando o filho errado. Se você estiver em uma situação dessas, nunca deixe a wicca ser argumento para começar brigas e disputas.
Ame os Deuses e celebre os ciclos da Lua e a Roda do Ano como você puder. Ninguém é dono de seus pensamentos, nem de sua alma. Você é livre!”
Adaptado de http://bruxaria.net/

sábado, 30 de julho de 2016

Bruxaria e Wicca

Nota: Neste artigo a palavra “bruxaria” designa o conjunto de todos os tipos de magia, e a palavra “Bruxaria” designa apenas o culto da magia negra.

O confronto entre as palavras

http://www.wiccaciadasbruxas.com.br/images/slogan_box_2.jpgQuando a meio de uma conversa surge a palavra “Wicca” poucos conhecem o seu significado, ou até mesmo se ela existe. Mas, e se pronunciarmos a palavra “bruxaria”? Esta já todos ouviram falar a até têm uma definição formada sobre ela. E, quase todos, a associam ao culto de Satã, missas negras, sacrifícios humanos, maldições e tudo o que de maléfico possa existir.
Na realidade, esta definição está em parte correcta. Mas, então Wicca é o mesmo que bruxaria? O que têm ambas a ver uma com a outra?
Ora, bruxaria é o nome global que se dá às práticas e cultos religiosos que envolvam os chamados feitiços, bruxedos e poções. Respondendo à primeira questão, sim, a Wicca é bruxaria.
A questão fundamental, é que a Wicca está contida na bruxaria.


Magia Branca e Magia Negra

O que gera tanta confusão em relação a estas matérias é o facto de a bruxaria se dividir em dois ramos distintos: o da magia branca (é a bruxaria que se dedica às práticas que visam o bem sem prejudicar o outro, onde se inclui a Wicca) e o da magia negra (onde se inclui, então, o culto de Satã, as maldições e tudo o que visa influenciar de forma negativa o outro, comummente designada apenas por Bruxaria).
A diferença significativa entre a Wicca (magia branca) e a Bruxaria (magia negra) é a origem dos materiais utilizados nos rituais e a forma como são utilizados.
A Wicca venera a Natureza e segue os ciclos naturais da lua e do sol de forma a atrair coisas positivas. A Bruxaria, também venera a Natureza, mas com propósitos completamente diferentes. A sua prática tem como principal papel o castigo e a atracção de coisas negativas.



Impacto na Sociedade

Uma das razões pela qual a Wicca surge associada a Bruxaria é o facto de os praticantes de ambas as práticas serem igualmente denominados de bruxos. No entanto os praticantes que se dedicam ao culto Wicca podem ser também denominados de wiccanos ou wiccans.
Esta é a razão principal pela qual a sociedade não distingue a magia do bem e a magia do mal, porque são todos chamados de igual forma.
Ao contrário do que é aceite pela sociedade, o bruxo wiccano não mata pessoas nos seus rituais, não lança maldições, não adora Satã. É por esta razão que a maioria dos bruxos wiccanos vivem no anonimato e não se assumem socialmente como bruxos. Aqueles que o fazem são, na maior parte dos casos, alvo de exclusão social.
Estes, são indivíduos comuns, trabalham, têm filhos, casa, problemas familiares e financeiros tal como qualquer outra pessoa. Apenas vêm o mundo de outra forma: a forma que cultua a Natureza e que permite que o ser humano exista.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Paganismo o que é?



Paganismo
Beltane Fire Festival, Calton Hill - Edinburgo, Escócia
O significado / Etimologia
[Do lat. paganus, ‘pagão’, + -ismo.]
Substantivo masculino.
1.O conjunto dos que não foram batizados.

A origem do termo pagão, propriamente dito, surgiu no final do Império Romano. Os hebreus mantinham uma nítida divisão entre o povo escolhido de Deus (os Judeus) e os gentios (Pagãos), o povo que não conhecia Yahweh e não vivia de acordo com as regras impostas pelo Torah.
As práticas
O Paganismo, ao contrário do que muitos pensam, não é uma religião e sim um conjunto de religiões de aspeto não judaico-cristão (principalmente as europeias pré-cristãs), como foi citado acima.
Exatamente pelo Paganismo abranger muitas culturas em várias épocas (remontando eras pré-históricas), fica difícil traçar um comum entre suas práticas e cultos. Entretanto, umas das características presentes na maioria dessas religiões é: O politeísmo1 (em algumas o dualismo ), o animismo2 e o panteísmo3.

Vale salientar que o Paganismo de nada tem em comum com as práticas satânicas e/ou luciferianas, visto que essas práticas são advindas da judáico-cristã.

O paganismo, atualmente, é dividido em duas fases: Paleopaganismo e Neopaganismo. Segue abaixo a sua descrição de acordo com algumas fontes:

Paleopaganismo:
Incluem-se neste conceito as religiões do antigo Egito, do mundo grego-romano da Antiguidade Clássica, a antiga religião dos celtas (Druidismo), a religião Norse ou mitologia nórdica, Mitraísmo, bem como as religiões das populações Nativo-americanos, como a religião Asteca, etc.

Neopaganismo:Crenças e práticas religiosas de grupos de pessoas que na atualidade pretendem ligar-se à Natureza através da recuperação das antigas religiões pagãs.


O Neopaganismo
Neopaganismo é o nome do movimento reconstrucionista das antigas crenças pagãs nos tempos atuais. Um dos ícones mais marcantes do Neopaganismo é, sem dúvida, Gerald Gardner que criou, na década de 50, a Wicca; que seria a reconstrução moderna da Bruxaria.
Mal-entendidos acerca do Paganismo
Existem muitos mal-entendidos acerca do Paganismo em diversos sites e blogs espalhados pela rede. Um deles é a afirmação de que o Paganismo é uma religião Matriarcal e focada na Deusa, quando na verdade não é.
Foi dito acima que o Paganismo é um conjunto de religiões e culturas. Culturas que nem sempre eram Matriarcais e que nem sempre eram Patriarcais, o que torna essa generalização errada.


———————————
[1]Politeísmo: (do grego: Poli, muitos, Théos, deus: muitos deuses) consiste na crença em mais do que uma divindade de gênero masculino, feminino ou indefinido, sendo que cada uma é considerada uma entidade individual e independente com uma personalidade e vontade próprias, governando sobre diversas atividades, áreas, objetos, instituições, elementos naturais e mesmo relações humanas. Ainda em relação às suas esferas de influência, de notar que nem sempre estas se encontram claramente diferenciadas, podendo naturalmente haver uma sobreposição de funções de várias divindades.
[2]Animismo: (…) a manifestação religiosa imanente a todos os elementos do cosmos (Sol, Lua, estrelas), a todos os elementos da natureza (rio, oceano, montanha, floresta, rocha), a todos os seres vivos (animais, árvores, plantas) e a todos os fenômenos naturais (chuva, vento, dia, noite); é um princípio vital e pessoal, chamado de “ânima” (…)
[3]Panteísmo: “É uma doutrina que identifica o universo (em grego: pan,tudo) com Deus (em grego: theos).”


quinta-feira, 28 de julho de 2016

Viver a Wicca - As 13 Metas Wicca


https://i.ytimg.com/vi/zdZuq57ylgM/hqdefault.jpg

Muitas são as especulações criadas em torno do número 13: número do azar, má sorte, magia negra... tudo e mais alguma coisa.
Mas afinal porquê tanta coisa?
É um número impar, é o número dos ciclos lunares num ano e é também o número de regras - metas - da Wicca.

São as metas  que um Wiccano se compromete seguir.


1- Conhecer-se a si mesma
2- Saber a sua arte
3- Aprender
4- Usar o que aprendeu
5- Manter o equilíbrio de todas as coisas
6- Manter suas palavras verdadeiras
7- Manter seus pensamentos verdadeiros
8- Celebrar a vida
9- Alinhar-se com os ciclos da Terra
10- Manter o seu corpo correcto
11- Exercitar o seu corpo e a sua mente
12- Meditar
13- Honrar a Deusa e o Deus

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Wicca em Portugal

http://3.bp.blogspot.com/_oh1KSUMkpXQ/TLC1UMOZCDI/AAAAAAAAAYE/NhOz7MWoovg/s1600/Vinum-Sabbati-coven.jpg
Infelizmente, em Portugal, ainda há muitos poucos praticantes de wicca, druidas ou pagãos em geral. Talvez por ser um país pequeno e situado na cauda da Europa. Ou então, existem mas vivem oprimidos, não deixando transparecer a sua escolha religiosa. Muitos nasceram no seio de famílias católicas. A afirmação de uma escolha religiosa diferente poderá ser vista como heresia ou mesmo obra do diabo. 

Apesar de a Igreja nos dias de hoje tentar passar a mensagem de que "somos todos irmãos", na verdade o comportamento da maioria dos católicos (há já alguns mais tolerantes) deixa transparecer uma mensagem de intolerância e repúdio às escolhas religiosas que não a católica.

 A religião Wicca, depois de se popularizar no norte da Europa e América do Norte, nos últimos anos vem ganhando grande número de adeptos em Portugal e nas demais partes do mundo. Contudo, parece-me a mim que a Wicca, ainda assim, é uma das tradições neo-pagãs com menos adeptos, quando comparada por exemplo com o Druidismo.

Pensa-se que esta se tenha popularizado mais na zona da Escócia devido à antiga religião celta, apesar da Wicca não ser a religião dos celtas mas sim com traços e origens na religião celta. Actualmente nessas regiões são celebrados vários festivais e celebrações que visam reconstituir os antigos rituais celtas adaptados ao paganismo atual.

Uma das mais conhecidas celebrações é o Beltane Fire Festival, realizado anualmente em Calton Hill, Edinburgo promovido pela Beltane Fire Society que também organiza outras celebrações pagãs.

beltane fire festival1 Beltane Fire Festival
Têm vindo a surgir algumas comunidades virtuais que se dedicam à Wicca em Portugal mas por enquanto ainda não se conhecem associações, círculos ou Covens em Portugal, aos quais praticantes possam ter fácil acesso.

https://media-cdn.tripadvisor.com/media/photo-s/07/fa/1f/2c/pub-medieval-casa-do.jpgExiste em Portugal um pub conhecido por agregar as tradições pagãs, incluindo a Wicca. Trata-se do pub medieval "Casa do Fauno" em Sintra que também promove alguns eventos sobre o tema. Sabe-se que praticantes de tradições pagãs frequentam o local, contudo ainda de forma anónima.

terça-feira, 26 de julho de 2016

A Origem da Palavra Wicca



http://www.geocities.ws/portal_wicca/wicca.gif

Também conhecida por Bruxaria, Feitiçaria, Religião da Deusa, Antiga Religião, Arte dos Sábios ou Arte, a Wicca é uma filosofia de origem pré-cristã baseada no princípio de criação feminino e nos ciclos da natureza, como as fases lunares e as quatro estações, revivendo o culto à Grande Deusa e aos Deuses Antigos
 
Por um lado, há quem defenda que o termo Wicca possui duas origens: a primeira está ligada a palavra saxónica Witch, que significa dobrar, moldar ou girar; a segunda origem é relativa à raiz germânica da palavra Wit, que significa saber ou sabedoria. Portanto, deduz-se que Wicca pode significar “moldar a sabedoria”.
Por outro lado também há quem defenda uma perspetiva contrária a esta, afirmando que a palavra Wicca provém do inglês arcaico que quer dizer "bruxo" e nunca significar “Sábio”. Desta perspetiva a palavra tem sua origem na raiz indo-européia "wikk-", significando "magia", "feitiçaria".

Embora a Wicca assente no conhecimento universal em próprio benefício, sem prejudicar a ninguém, a palavra Wicca ainda carrega uma conotação negativa e errada, sendo associada ao satanismo, magia destrutiva e cultos ou seitas opositoras ao cristianismo de um modo geral.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Usos Mágicos do Estragão

http://www.planfor.pt/Donnees_Site/Produit/Images/0812/estragao_PT_500_0000280.jpg
O Estragão cujo seu nome científico é artemisia dracunculus, é uma erva aromática bastante usada na cozinha francesa e holandesa mas também com propriedades mágicas.

http://1.bp.blogspot.com/-0HQjRxphpJw/TkmfUYlYLZI/AAAAAAAAD_A/a3Q8VsnWVC0/s1600/P1090501.JPGO estragão é uma planta que geralmente não floresce. Gosta de uma exposição solar abrigada e de um solo rico leve e seco. Quem já cultivou estragão sabe que é bastante fácil manter a espécie uma vez que cresce de uma forma bastante parecida com a hortelã, propagando-se através de caules debaixo do solo e que volta a crescer quando cortada ou podada. Também é uma planta que absorve muito do solo. Irá reparar que com o tempo, se estiver em vaso, a terra parecerá ter sumido ou diminuído, estando cheia de raízes. É por isso aconselhado ir replantando e tirar o excesso fora.

Apesar de ser uma erva aromática o seu saber e odor é muito subtil. Para sentir o aroma é preciso esfregar a planta e aí é que se sente o odor ligeiramente adocicado.

Contudo também é utilizada na magia Wicca. Trata-se de uma planta associada ao género masculino e ao planeta Marte.
http://buddhaspa.com.br/files/wp-content/uploads/2011/09/incenso.jpgRepresenta o elemento Fogo e os deuses Ares e Thor. Os seus usos mágicos prendem-se essencialmente com a proteção e purificação, podendo ser usada sob a forma de incenso.

Aqui deixo o resumo:
Nome científico: artemisia dracunculus
Género: Masculino
Planeta: Marte
Deuses: Ares e Thor
Poderes Mágicos: Purificação e Proteção
Uso: Incenso é o mais comum

domingo, 24 de julho de 2016

Bruxaria das Encruzilhadas - Será Wicca?

Desde há muito que são encontradas as chamadas "mesas de bruxaria" em encruzilhadas. Mesas fartas com frutas vinho, comida e bebidas tudo do mais caro o luxuoso que possa haver e geralmente com velas e cravos vermelhos.

Ora é preciso ter em conta que este tipo de rituais não são nem de perto nem de longe rituais wiccanos.
São rituais praticados por seitas religiosas que na sua maioria praticam magia negra. É comum encontrar nestes locais também animais mortos, sangue derramado e até réplicas de silicone de várias partes do corpo humano.
 

Na zona onde moro, estas descobertas são abundantes, embora as mais comuns sejam círculos decorados com cravos vermelhos, com uma vela branca a um canto e várias garrafas de cachaça meias e com charutos nas pontas. O álcool é muito utilizado porque os rtuais são feitos totalmente nus e mesmo nas noites mais frias é assim possível a nudez ritual.

Importa alertar para o facto do tamanho dos círculos que são comumente encontrados. Quando se trata da Wicca, o ritual é feito no interior do círculo (para proteção espiritual), logo é necessário um círculo com alguma dimensão. Grande parte dos círculos encontrados são de pequenas dimensões e estão ocupados com comida e objetos com simbolismo, o que torna pouco provável que o praticante estivesse no interior do círculo.


A Wicca não utiliza animais, e tem por hábito deixar o local como o encontrou por respeito à Natureza.

Um aspecto também muito curioso é o facto destes "banquetes" estarem situados ou perto de ribeiras  ou então no cimo de colinas onde se juntam num largo entre 4 a 7 caminhos. Sim é possível encontrar encruzilhadas com tantos caminhos.

 




sábado, 23 de julho de 2016

Origem da Bruxaria Wicca




A Wicca é uma religião neo-pagã baseada na cultura e mitologia nórdica, comummente relacionada com o povo celta, e que venera duas divindades: a Deusa Mãe, símbolo da fertilidade, e o seu consorte, o Deus Cornífero.
Embora o nome Wicca, como religião, seja recente, o Paganismo que lhe deu origem era praticado já antes da era Cristã, no período Paleolítico.
A Wicca venera, acima de tudo, o sagrado feminino e a fertilidade, razão pela qual na maioria das vezes a Deusa ocupa o lugar central no culto wiccano.
Esta religião é também designada de Arte, Religião da Deusa ou mesmo Religião Antiga, sendo as mulheres Wiccanas chamadas de Sacerdotisas da Deusa ou Grande Mãe.
Há quem acredite que esta religião não vem directamente da religião ancestral, o Paganismo, e que a Wicca é apenas uma reconstrução moderna dessa antiga religião. Pode ser em parte verdade, a reconstrução moderna, já que esta está adaptada aos dias de hoje, mas os princípios originais são mantidos.

Margaret Murray


A ligação entre a Wicca e a religião ancestral, foi pela primeira vez estabelecida pela antropóloga Margaret Murray no início do Século XX.
Murray, conseguiu estabelecer esta ligação ao estudar os registos da inquisição nas Épocas Ardentes (1450-1792), descobrindo qual era o diabo das feiticeiras que eram condenadas à fogueira. O diabo que os inquisidores afirmavam ser a incorporação do mal era o Deus Cornífero da antiga religião. Nesta época aqueles que não praticavam o Cristianismo eram acusados de feitiçaria e punidos com pena de morte. Grande parte do preconceito existente em relação à Wicca deve-se ao Catolicismo Romano, por acreditar no diabo.
Margaret Murray foi autora dos livros “A Bruxa na Europa Ocidental” e “O Deus das Bruxas” que contam como foram eliminadas e julgadas as bruxas pelo Catolicismo.
Os seus textos não foram bem aceites na época, no entanto acabaram por ser a fonte de informação das tradições neo-pagãs.


Gerald Gardner

Quando a última lei que condenava aqueles que praticassem bruxaria foi revogada, em 1951, Gerald Gardner defendeu a posição de Murray declarando que esta era a religião dos antigos povos, que sempre tinha sido praticada e que sobrevivera às Épocas Ardentes sob o nome de Wicca.
Gardner foi responsável pela fundação de um Coven (grupo de praticantes de Wicca) e pela escrita de vários livros sobre Wicca onde relatava práticas e crenças.
Desde então o movimento neo-pagão tem vindo a aumentar, e aqueles que viviam nas sombras puderam finalmente assumir as suas crenças sem serem punidos pela inquisição.
Surge assim, novamente, este movimento religioso que busca celebrar a Natureza, o Deus e a Deusa tal como os nossos ancestrais o faziam, nascendo assim a Wicca que conhecemos hoje.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Nudez Ritual na Wicca

 
Sendo os Wiccanos neo-pagãos, estes praticam os seus rituais "vestidos de céu", ou seja, nus.
A nudez é a condição mais natural em que o corpo humano pode ficar, não querendo de todo representar o significado que a nudez tem atualmente.

Mais uma vez refiro a Igreja, pois foi ela a responsável pela criação de  muitos dos "comportamentos inaceitáveis"  ao longo dos tempos e que mais fez para criar sentimentos de culpa sobre a figura humana desnuda. Tais emoções distorcidas, não naturais, perduram até hoje.

A nudez ritual é usada pelo seu valor simbólico: a nudez mental, espiritual e física perante os deuses simboliza a sinceridade, confiança, pureza e fé.
Isto pode parecer estranho para muitos ocidentais, levados pelo puritanismo da tradição judaico-cristã... onde nudez é pecado e sexo é sujo!

A nudez ritual era prática de muitas religiões antigas, não é uma ideia nova. O que, se pensarmos bem, faz todo o seu sentido. Nascemos nus, só depois somos cobertos por roupas. Quererá isto então dizer que nascemos em pecado? Não me parece de todo que faça sentido, pelo menos para mim.
 
O entendimento do poder feminino e da natureza é a base da Wicca, esse poder está presente desde os primórdios da humanidade.
A nudez e o sexo são elementos divinos em várias culturas antigas.
Os Índios norte-americanos, polinésios, índios do Amazonas e muitos outros povos de várias culturas não utilizam vestes para fins religiosos e enxergam na prática sexual um elemento sagrado.

O corpo, em especial o das mulheres, é venerado e não como objecto de prazer e consumo, mas sim como portador de uma dádiva, a capacidade de conceber e gerar vida.
Cobrir o corpo é parte da ideia de reprimir o AMOR e sexo.
 

quinta-feira, 21 de julho de 2016

As Brumas de Avalon - O Filme

 http://i.imgur.com/JxdBJvx.jpg

"As Brumas de Avalon" é um filme levado a cabo numa parceria entre os EUA, Alemanha e República Checa, com o roteiro de Gavin Scott baseado na obra literária com o mesmo nome de Marion Zimmer Bradley.
https://umcafeoudois.files.wordpress.com/2015/01/as-brumas-de-avalon.jpg 

O filme, também exibido no formato de mini-série de 3 episódios, foi dirigido por Uli Edel e teve como principais atores  Anjelica Huston (Viviane), Julianna Margulies (Morgana) e Edward Atterton (Rei Artur).

http://3.bp.blogspot.com/-8KFpmgxznzk/UGEuArlDCgI/AAAAAAAAKHU/TYmToeb7dJs/s320/mistsofavalon.jpg
 O filme, tal como a obra de Marion Zimmer Bradley, retrata a Saga dos Cavaleiros da Távola Redonda e as relações entre o reinado do Rei Artur e a Ilha Sagrada de Avalon onde habitam as sacerdotisas da Antiga Religião.

http://leitorcabuloso.com.br/wp-content/uploads/2015/10/5_imagem_2_morgana.jpg
Embora a palavra Wicca não seja mencionada no filme nem no livro, pois a época em que a ação se passa é muito anterior ao surgimento da Wicca como religião, o filme fornece uma boa perspetiva da vivência da Antiga Religião que serviu de base à Wicca dos dias de hoje. É um filme que retrata as práticas da Antiga Religião bem como as suas implicações e deveres, pelo que é um filme que aconselho vivamente, quanto mais não seja apenas pela história em si.

Se me perguntarem qual é melhor, se o livro ou o filme, sem dúvida que escolho o livro (4 volumes). Apesar dos aspetos principais estarem conservados no filme, o livro fornece muito mais detalhe e até mesmo partes da história que o filme não retratou (como por exemplo a reação de Morgana quando engravidou).

Mesmo para aqueles que não se identificam com a Wicca, o filme é muito bom e bem conseguido. Vale a pena assistir.

A Magia das Bruxas Wiccanas


Há estes dois tipos de bruxaria distintos. No entanto quase todos os que veem a bruxaria do lado de fora veem apenas o lado mau e não sabes distinguir que nem tudo é a mesma coisa.

A Wicca apenas pratica magia branca, a magia do bem, e por isso há ações que uma bruxa Wiccana não faz. Este artigo serve para separar isso mesmo.

O que as Bruxas Wiccanas fazem:
- Plantam ervas para fins curativos e culinários.
- Conversam e comunicam com as plantas e animais.
- Celebram as estações do ano.
- Celebram as fases da Lua.
- Relacionam a sua menstruação às fases lunares.
- Honram todos os alimentos, de carnes a vegetais.
- Têm seu corpo como sagrado.
- Sexo por amor e por prazer, por ser algo natural.
- Wiccanos acreditam em reencarnação.
- Honram deuses e deusas.
- Respeitam todos os seres vivos em igual importância.
- Repudiam o proselitismo.
- Servem a Terra.
- Repudiam qualquer forma de preconceito.
- São cidadãs.
O que as Bruxas Wiccanas NÃO fazem:
- Não fazem pacto com o diabo.
- Não adoram ou celebram a entidade conhecida como diabo ou satã.
- Não usam fetos abortados em rituais.
- Não renunciam ao Deus cristão, apenas acreditam em outra forma de divindade.
- Não são sexualmente anticoncencionais.
- Não fazem uso de drogas rituais.
- Não forçam ninguém a fazer algo que não queiram.
- Não querem converter o mundo para a sua religião.
- Não profanam igrejas nem outros locais de culto.
- Não realizam "missas negras".
- Não cometem crimes em nome de sua religião.
- Não comem criancinhas.
- Não voam em vassouras.
- Não são verdes.
- Não acreditam que sexo seja pecado.
- Não realizam orgias rituais, pois o sexo é visto como sagrado.

Excertos adaptados de Bruxaria Elemental

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Celebrações de Origem Pagã - Tabuleiros de Tomar



São muitas as festas e festejos que decorrem atualmente, muitas até com o apoio da igreja, mas cuja sua origem é na realidade pagã.
https://gerardoonline.files.wordpress.com/2010/09/ceres.gif
Um desses exemplos, é a festa dos tabuleiros de Tomar, intimamente ligada às celebrações das colheitas nos tempos ancestrais e que foi "adoptada" pela igreja. A deusa venerada nos festivais pagãos era a deusa romana Ceres, denominada de Deméter pelos Gregos, que simbolizava a Terra e a fecundidade e desta forma as colheitas daquilo que a terra dava.
Curiosamente, o dia de veneração à Deusa Ceres coincide com o dia do festival Wiccano Sabbat Lammas, realizado a 1 de Agosto, festival esse que celebra também as colheitas.

Aqui o excerto de uma notícia da RTP onde é explicada a origem deste cortejo.

"Os atuais festejos, que fazem de Tomar a sua cidade berço, remontam às arcaicas 'festas do imperador', e foram instituídos pelo Rei D. Dinis e pela Rainha Santa Isabel, no quadro do culto do Espírito Santo.

Mas as suas origens serão pagãs. Segundo alguns investigadores, a sua origem encontra-se nas festas de colheitas à deusa Ceres. Uma prática ancestral de entrega das primícias das colheitas à deusa Ceres e de celebração da fertilidade da terra.

Nos dias de hoje, centenas de pessoas continuam a recriar esses tempos, mantendo viva uma tradição que o tempo não esqueceu e que as gentes nabantinas querem perdurar."
 http://farm2.static.flickr.com/1021/765276120_0956566ecb.jpg
"Esta tradição é uma das manifestações culturais e religiosas mais antigas de Portugal.

A conversão desta festa para o cristianismo presume-se ter sido feita pela Rainha Santa Isabel, durante o século XIV, que lançou as bases do que seria a Congregação do Espírito Santo. Um movimento de solidariedade cristã que, em muitos lugares do reino, absorveu as primitivas festas pagãs.

O ponto alto destas festividades juntava ricos e pobres sem qualquer distinção e ocorria no “domingo de Pentecostes”, dia em que as línguas de fogo desceram sobre os Apóstolos.
http://viagens.decaras.com/wp-content/uploads/2011/06/tomar-tabuleiros-det.jpg
 "Os "Tabuleiros" seriam as dádivas dos mais ricos, com oferendas de pão e cereais, para posterior repasto dos mais pobres, num gesto de partilha fraterna e símbolo da distribuição dos dons do Espírito Santo e da abundância de Deus." 

Poderá  consultar a noticia na íntegra aqui.

As Bruxas de Hoje - Quem são?


Quem são as bruxas de hoje? Só saem à noite? Andam vestidas de preto? Têm uma verruga no nariz? Comem crianças? São mulheres?
Não!
As bruxas e bruxos de hoje são pessoas normais. São pessoas com família, filhos, com empregos, que têm todos os deveres que qualquer indivíduo tem. Aliás, a bruxa de hoje provavelmente mora na mesma rua que você ou até é sua vizinha.

Um bruxo ou bruxa, e refiro-me à Wicca, são pessoas cuja religião é a Wicca ao invés de outra religião. A única diferença está na escolha religiosa e na filosofia de vida, tal como por exemplo os testemunhas de Jeová, Protestantes, etc...

Estas palavras correm em muitas páginas da internet e nem mesmo assim se consegue acabar com a ideia errada que há das bruxas de hoje.

As Bruxas são pessoas normais!

Mas há que saber distinguir: Um Wiccano é um bruxo, mas um bruxo não tem que ser necessariamente Wiccano!

terça-feira, 19 de julho de 2016

Livro "Malleus Malleficarum" - O Martelo das Feiticeiras


É certo que quase todos nós já ouvimos falar das chamadas Épocas Ardentes e da Caça às Bruxas, em que todos os que eram acusados de bruxaria/feitiçaria eram condenados à morte em praça pública.

Contudo, a condenação à fogueira não era o único instrumento de "punição" utilizado. O livro "Malleus Malleficarum" é um autêntico guia de tortura para aqueles que não seguiam o catolicismo da época. Nele são esquematizadas as atrocidades levadas a cabo por aqueles que se julgavam donos da razão, condenando até inocentes à mais pequena suspeita. Escusado será dizer que era fácil eliminar para os detentores do poder aqueles que representavam uma afronta, bastando para isso acusá-los de bruxaria, pois a justiça era a justiça popular.

Na barra lateral esquerda do blog, podem encontrar o link direto para a leitura deste livro.

 

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Paixão pela Natureza – Já pensou na Wicca?


Sou uma apaixonada pela Natureza… por natureza! Sempre apreciei os tons dos campos, em especial o verde e o mudar das cores no Outono. Na verdade, é na Natureza que me sinto em casa. E não é por acaso, a Natureza é a nossa casa!

Descobri a Wicca em 2006 através das obras de Marion Zimmer Bradley. Um livro intrigante, explorava de forma apurada os sentidos humanos, e que descrevia com todo o pormenor a sensação provocada pela inalação do aroma do estragão…

Passei a estar mais atenta à Natureza e ao que me rodeia… já antes tinha feito um herbário… talvez aquele livro fosse apenas a chave que faltava para abrir a porta dum mundo, que vi mais tarde a descobrir, ser o meu mundo! O mundo da Wicca, da paixão e veneração pela Natureza!
Se se sente atraído pela Natureza, por tudo aquilo que o rodeia, o som dos pássaros, o som das folhas a rolar no chão num dia ventoso, a água a cair numa cascata, ou simplesmente a passar nas pedras da margem da ribeira, porque não pensar na Wicca? Talvez não saiba o que é, ou melhor, sabe o que é mas não sabe o nome – Wicca – tal como aconteceu comigo.

Não pretendo com esta publicação mudar mentes. Pretendo apenas dar a conhecer o desconhecido e divulgar o mundo maravilhoso da magia Wicca!

Com este blog pretendo ir aos poucos esclarecer mitos e divulgar tradições e costumes desta religião, que é também uma filosofia de vida.

O Mito das Bruxas Voadoras


Mais uma vez, as “bruxas malvadas” eram tidas como bruxas que voavam nas suas vassouras espalhando o mal pelo mundo! Para muitos esta descrição poderá ser apenas uma história inventada para povoar as mentes das crianças. Mas há uma boa explicação para tal história.

Na realidade a origem está longe de ser um mito. Não estou a dizer que as “bruxas” voavam ou voam mesmo, mas há uma explicação para esta especulação. Durante os rituais não tanto nos dias de hoje mas na antiguidade, e aqui não falo apenas de bruxas Wiccanas, eram muitas vezes ingeridos líquidos que continham substâncias alucinogénias. Ao ingerir tais misturas a bruxa experimentava a sensação de leveza e flutuação, daí imaginar estar a voar.


Entre as plantas com este tipo de efeitos e que era amplamente utilizada, está a atropa belladona. “Belladona” porque muitas mulheres a usavam para dilatar as pupilas, em pequenas quantidades, e assim parecerem mais belas. Contudo em grandes quantidades tem a capacidade de provocar alucinações.

Mito desvendado!